Sou lixeiro… Sou doutor… – Por Augusto Ventura

Nós, da seara Umbandista, precisamos compreender nosso papel. Não apenas na seara, mas no mundo. O tempo todo nos perguntamos: como posso me tornar um bom médium? Como desenvolver minha mediunidade? Mas será que em algum momento, nos questionamos: por que sou médium? Qual o meu papel na mediunidade?

Vivemos uma época em que a espiritualidade não precisa mais de nós, médiuns, para trabalhar através de nós. Eles precisam de parceiros que os auxiliem, não apenas dentro do terreiro, mas no dia a dia. Que os auxiliem a aliviarem as mazelas de todos os nossos irmão, dentro ou fora do terreiro. Afinal, como diria meu querido Pai Francisco, “o nosso terreiro é a rua, a vida”.

Segue um texto bem interessante que servirá para mais uma reflexão: qual o nosso verdadeiro papel na Umbanda?

Continue lendo…