Linha do Oriente – por povociganonaumbanda.blogspot

Esse texto sobre a linha do Oriente é muito bom! Uma bela e sucinta explicação da origem e função dos nossos queridos irmãos, que atuam com tanto amor e humildade na nossa Umbanda.

LINHA DO ORIENTE.

A Linha do Oriente foi formada no plano astral há muito tempo atrás, ela é anterior à própria Umbanda. Ela é um agrupamento de seres divinos, mestres ascencionados e espíritos iluminados.

Neste agrupamento chamado de “Grande Oriente Luminoso ou Círculo Luminoso do Grande Oriente” estão muitos irmãos atlantes, lemurianos, celtas, persas, incas, astecas, peregrinos, instrutores, magos, budistas, indianos, tibetanos, espíritos das mais antigas e diversas civilizações do planeta. Este agrupamento é o sustentador de várias religiões e formas de atuação espirituais em benefício dos seres humanos em evolução.

A Linha do Oriente guarda todo o conhecimento de todas as civilizações que aqui viveram, sobre todas as religiões, as tecnologias, as ciências (das naturais às medicinais e às nucleares), de todas as formas de Magia, enfim, todo o conhecimento relacionado à espécie humana desde a sua origem. Dentro da Umbanda, chamamos os Guias que trabalham sob esta irradiação de “Linha do Oriente” ou “Povo do Oriente”. A palavra “Oriente” não está relacionada ao mapa do planeta, mas sim, ao Oriente relativo ao nascer do Sol, quando os primeiros raios luminosos surgem sobre o planeta para aquecer e mostrar o caminho. “Oriente é Luz, é iluminação, é brilho, é ascensão”.

Esta linha de trabalho e ação começou a se manifestar nas casas de trabalho umbandistas a partir do séc. XX para atender à necessidade de vários irmãos que estavam no plano astral precisando trabalhar através da Caridade, mas que não se encaixavam nas demais linhas já conhecidas. O Povo do Oriente é regido pelo Sagrado Pai Oxalá e pelo Sagrado Pai Xangô, é sustentada pela luz da Fé e pelo Fogo Sagrado que aquece o espírito. O seu patrono é Xangô Kaô, representado por São João Batista.

Assim como nas demais linhas de trabalho da Umbanda, seus Guias atuam sob a irradiação do Grande Oriente Luminoso, mas podem receber também irradiações dos nossos Pais e Mães Orixás direcionando seus campos de ação e atuação. As irradiações do Grande Oriente Luminoso também podem amparar Guias de outras irradiações, então, podemos ter um Ogum dos caminhos que atue com as energias do Oriente, um Xangô das montanhas que atue com as energias do Oriente, uma Oxum das matas que atue sob as irradiações do Oriente, e assim pode acontecer em todas as 7 linhas de Umbanda Sagrada. Os Guias das irradiações do Oriente estão entre os Guias que se manifestam nas casas de trabalho, são Guias como todos os outros e respeitam as normas de conduta da casa e o livre arbítrio de seus médiuns. Incorporam normalmente, dão passes, fazem consultas, apenas possuem uma irradiação que os permite uma vibração na linha do Oriente.

Os Guias da linha do Oriente atuam de acordo com seus campos de trabalho, seja um Ogum, um Xangô, um Preto-Velho ou uma Criança. A sua vibração primordial é relacionada à ascensão espiritual e à cura do espírito e do corpo. Atuam muito nos trabalhos e atendimentos relacionados à saúde. Tem como missão auxiliar na humanização de nossos corações endurecidos, na elevação de nossas vibrações e dos nossos pensamentos, no aumento da nossa Fé, em nossa elevação moral e ética, na evolução dos nossos mentais divinos. Em suas giras podem se apresentar Guias das mais diversas origens e inseridos nas mais diversas linhas de trabalho, pode se manifestar um Xangô, uma Iansã, uma Nanã, um Caboclo ou mesmo o espírito de um irmão que tenha elevação espiritual mas que ainda não tenha uma linha definida dentro da Umbanda. Normalmente, falam muito pouco, tem um linguajar correto e culto, quando precisam passar alguma orientação usam frases curtas com significados profundos. Não incorporam para conversar, apenas para trabalhar. Procuram fazer os consulentes compreender as causas de suas enfermidades e assimilar a necessidade de mudança de seus hábitos pessoais, de seus pensamentos e sentimentos, a fim de se elevar e buscar a sua própria cura.

Por ser uma linha universalista as informações sobre as suas ervas principais, o seu dia, ponto de força e oferenda não foram estabelecidos. O Povo do Oriente não costuma pedir oferenda, por isso não há uma regra. Cada um deve consultar os seus Guias caso haja algum pedido especial. A sua cor fundamental é o dourado. A outras duas cores da linha são o branco de Oxalá e o marrom de Xangô.

Saudação: Salve o Povo do Oriente!

povociganonaumbanda.blogspot.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s