A pratica da Caridade não precisa de hora, lugar e roupa específicos.

COMECEMOS HOJE


Não diga que você pratica as lições do Evangelho, ante a luz do Espiritismo, simplesmente por debater-lhe os problemas. A palavra edificante é uma Bênção do Céu, mas, há sonâmbulos do verbo notável, sem serem loucos. Falam de maneira brilhante, embora dormindo. E todos podemos sofrer semelhante calamidade. 
Em nosso testemunho de aplicação com Jesus, é preciso fazer algo. Acorde, pois, trabalhando. 
Lembre-se de que o próximo espera por seu auxílio. 
Mexa-se, de algum modo, para ajudar. 
Pinte, com o próprio esforço, a casa onde você mora, dando-lhe aspecto mais agradável. 
Lave a louça da mesa que o serviu. 
Limpe uma ferida que sangra. 
Apare as unhas de um paralítico. 
Guie um cego, na praça pública. 
Garanta a higiene, onde você estiver. 
Acomode o próprio corpo com atenção, de maneira a não incomodar o vizinho, no veículo de condução coletiva. 
Carregue uma criança de colo para que essa ou aquela mãezinha fatigada descanse, por alguns minutos. 
Costure para os necessitados. 
Dê um café aos filhos do infortúnio. 
Distribua, com alegria, as sobras da refeição. 
Antes que apodreça, entregue a roupa supérflua ao companheiro andrajoso. 
Reparta o pão com o menino infeliz, que muitas vezes, lhe observa o conforto pela vidraça. 
Plante uma árvore útil. 
Enderece uma gentileza aos amigos, procurando ocultar-se. 
Estenda braços fraternos, ainda mesmo por um simples momento, aos que forem surpreendidos pela enfermidade, na rua. 
Adquira um comprimido balsamizante para o irmão que acuse dor de cabeça. 
Faça o favor de transportar espontaneamente os pequeninos fardos que pesam nas mãos alheias. 
Confie um livro nobre à circulação, no ambiente doméstico. 
Ofereça uma flor ao enfermo. 
Preste, com bondade, a informação que lhe solicitam. 
Dê alguns cruzeiros, em favor das boas obras, sem a preocupação de fiscalizar. 
Comecemos agora. 
Não creia que o barulho de fora consiga despertar-nos. 
Ante a pressão externa, mais se esconde a tartaruga na carapaça. 
Entretanto, o ruído de nossas próprias mãos no trabalho construtivo renova-nos a mente. 
Hoje, você enriquece o serviço do Senhor, alguma cousa. 
Amanhã, porém, o serviço do Senhor será tesouro crescente, em seu caminho. 

André Luiz 
Psicografia de Chico Xavier 
Livro Mãos Marcadas. 


Para ler a obra completa acesse: 






Os pobres que buscamos podem morar perto ou longe de nós. Podem ser material ou espiritualmente pobres. Podem estas famintos de pão ou de amizade. Podem precisar de roupas ou do senso de riqueza que o amor de Deus representa para eles. Podem precisar do abrigo de uma casa feita de tijolos e cimento ou da confiança de possuírem um lugar em nossos corações. 
Madre Teresa de Calcutá
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s